7 de janeiro de 2009

Sessão nostalgia

Na adolescência, ali pelo ensino médio e tal, eu costumava ouvir muuuito Tequila Baby e Comunidade Nin-Jitsu. Já, é claro, que eu sou catarinense e por conseqüência conheço bandas catarinenses e gaúchas. Fato é que deixei de gostar. Talvez não de gostar, mas de ouvir. Eu sempre vou gostar, mas já passou minha fase revoltadinha faz taaanto tempo. Hoje eu sou muito mais um rockzinho alternativo. Vou colocar aqui uma música que não é das mais terríveis, porque Tequila Baby e Comunidade tem letras terríveis, geralmente ligadas à bebida e a sexo. Que, por sinal, são letras divertidíssimas, isso eu não posso negar. Então pra quem não conhece... Aí vai.

Tudo o que eu consumo é artificial,

Tudo em minha vida é artificial,

Tudo o que eu faço, tudo o que eu sinto,

Até o meu amor é artificial também

Você sempre diz que é natural,

E que é melhor sempre ser assim,

Todos seus modos, todos seus atos

Mas o seu amor é artificial também

Tudo o que eu consumo é artificial,

Tudo em minha vida é artificial,

Tudo o que eu faço, tudo o que eu sinto,

Até o meu amor é artificial também

Você sempre diz que é natural,

E que é melhor sempre ser assim,

Todos seus modos, todos seus atos

Mas o seu amor é artificial também

Até seu amor é artificial também

2 comentários:

Pitango disse...

Eu tbém sou catarina mas não sou mto ligado no som de lá...

Abção,
Pitango

http://www.tchubaduba.blogspot.com/

Foguinho disse...

Detetive-tive-tive-tive
O meu pai é detetive!!
hehehe
engraçados!