19 de novembro de 2008

Procura-se

Procura-se um homem.

Não é alto, nem baixo, nem magro e nem gordo.

Procura-se um homem, moreno ou loiro.

Não precisa ser bonito, mas precisa ser gentil.

Procura-se um homem que saiba fazer cafuné.

E que eventualmente levante antes para fazer café.

Com torradas, por favor.

Procura-se um homem que goste de passear no parque.

E precisa gostar de animais, de flores e de chá mate.

Que não se importe de dispender toda a tarde.

Procura-se um homem que não seja preguiçoso,

Ou que pelo menos tente estar sempre disposto.

Procura-se um homem que não ronque,

E que às vezes uma flor arraque,

De um jardim e em minhas mãos entregue.

Procura-se um homem que goste de comer e beber,

Que saiba sorrir sem nem saber o porquê.

Procura-se um homem que sabia ficar triste sem perder a dignidade,

Que saiba recomeçar sempre ao cair da tarde.

Não precisa gostar de Natais ou Páscoas,

Mas precisa saber que são programas em família.

Procura-se um homem que ligue pra dizer que sentiu saudades.

Não precisa gostar da sogra, mas precisa manter a amizade.

Procura-se um homem sincero e maduro.

Maduro suficiente para falar a verdade e maduro suficiente para ir embora

Quando for chegada a hora do adeus.

Esse homem em questão não precisa ser um Deus.

Só precisa ser sincero e valorizar o que tem.

Manter os pés no chão e entender o que é gostar de alguém.

Um comentário:

Foguinho disse...

Ai eu vô chorá!
Que lindo...queria tanto ser metade disso.
Só eu gostei do poema?
Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Eu sou o primeiro fã, dá licensa?!