2 de outubro de 2008

Poeminha sujo e doente.

Lá vai meu coração nadando no meio da merda.

Afundando no meio da bosta.

Todo cagado, ferido e machucado.

Lá vai meu coração com virose,

Com gripe,

Com micose.

Meu coração que antes sorria, agora só chora e tosse.

Meu coração com leptospirose.

Meu coração com bronquite, com meningite.

Meu coração todo cagado, ferido e machucado.

Vai trôpego pelos caminhos.

Vai sofrido, o coitadinho...

No meio do caminho não tinha só uma pedra,

tinha um pedregulho inteiro e o massacre da serra elétrica.

3 comentários:

Bibi disse...

Nem antibiótico resolve!
:*

Pitango disse...

Toda cura para todo mal!

Abço
Pitango
http://www.lenfantdeboheme.blogspot.com/

Foguinho disse...

Tá aí uma versão de "No meio do caminho" contemporânea com toda a sensibilidade depressiva que contêm em nossos dias modernos.
Por isso que eu te adorooooooooooo
Adorei!
Beijos