1 de setembro de 2008

Secando o cabelo a prestações

Há cerca de dois anos atrás eu comprei um secador. Um secador que, quando eu usei pela primeira vez, pensei estar estragado, até ler o manual de instruções e descobrir que ele só estava tentando se proteger contra queimaduras. Mais ou menos um lance de sobrevivência.

Quando ele esquenta até determinada temperatura, ele se desliga. Até aí eu não vejo problemas. Por mim, tudo bem.

Mas eu nem cheguei a usar muito esse secador, porque minha irmã se mudou pra cá e eu passei a usar o dela, do Paraguai, nem marca tem, mas é muito mais potente.

Fato é que agora, depois de dois longos anos, o secador da minha irmã queimou. E passamos a "usar" o meu. E eu tinha me esquecido qual era o esquema dele.

Você liga, usa por vinte segundos (sem brincadeiras) e ele se desliga, porque fica esquentadinho, só voltando a se ligar cerca de uns oito minutos depois. Ou seja, ainda bem que eu não tenho cabelo comprido.

E toda vez que eu entro no banheiro e vejo ele em cima da pia, eu penso: Não compre produtos Britânia, não compre produtos Britânia... Vale mais um importado do Paraguai na mão do que dois Britânia voando.

Um comentário:

Arroz disse...

Imagine como funcionam os aparelhos de DVD britania, os MP3... tenho até medo de imaginar :S
Toda vez que passava na frente da fabrica ali em SJdosP, imaginava aquele barracão como um grande centro de desempacotamento (das sacolinhas vindas da china), etiquetamento(com a marca nacional), e reembalagem (com as lindas caixas da britania).. nada mais!