13 de julho de 2007

Por que você não se mata? Filho da puuuuuta!

As passagens da vida poderiam ser menos dolorosas. Aquelas passagens de um período a outro. Menina-mulher. Criança-adolescente.Jovem-adulto.Universitário-formado.Aliás, tudo na vida poderia ser menos doloroso. Se pudéssemos encarar os obstáculos com leveza e não com preocupação. Mas na maioria das vezes não temos escolha, já que somos condicionados pelos outros.Ira atrai ira. Não com todo mundo, claro. Muitas pessoas, mesmo não sendo zen-budistas conseguem sorrir em meio ao stress e ficar calmos.Mas sabemos que em suma, a grande maioria das pessoas vai no bate-volta e é condicionada pelo ambiente e pelas pessoas. Eu também.Não há como manter a calma envolta por pessoas que gastam a última gota de suor tentando te irritar. Até que chega um ponto em que elas conseguem! Acabam vencendo pelo cansaço. E você cede. E consegue imaginá-las penduradas em uma estaca, sangrando muito, até se acalmar.Sim, nessas horas imagens mentais ajudam muito. No meu caso, não de paz, amor e harmonia, mas de uma vingança interna. Já que não posso enfiá-las em uma estaca, muito menos dizer: "gostaria que você estivesse enfiado em uma estaca", me contento em imaginar. O stress acaba passando.Eu faço isso o tempo todo. E sim, é absolutamente normal. Pelo menos não matei ninguém até hoje (fisicamente falando). Eu detesto pessoas insistentes e efusivas. Mas sou obrigada a me calar, visto que no momento dependo disso. Depois ainda querem proibir palavrão. Ahhh! tenha santa paciência. Na hora do palavrão até a alma fica mais leve. Bando de filhos da púuuuuuuuuuuuuta! =D

Um comentário:

jair disse...

concordo!

se não fossem os palavrões, tenho certeza de que esse mundo seria muito pior =]

\o