26 de junho de 2007

Existem dias em que os minutos demoram a passar e enquanto masco um chiclete que faz meu estômago suspirar de fome, imagino o sabor da comida, o cheiro e a cor. Olho para o canto direito do monitor: 11:41. Parece que o estômago sabe que não demora muito a saciar sua vontade. Bebo um gole de água: 11:42. Ajeito a cadeira e me encolho, a fim de passar despercebida. Não, por favor Deus, que o telefone não toque. Que eu possa ficar invisível: 11:44. Rezo para que nada de mal aconteça nos minutos que faltam, amém. Um celular toca brasileirinho e penso em tamanho mal gosto, sempre olhando para o horário no monitor: 11:46. Só mais um pouco, só mais um pouco... A água olha para mim e sorri, como se dissesse: se faltar comida, tem água! Resolvo beber mais um pouco. Hoje está frio. Lembro da semana anterior, parecia primavera. Isso me deixava feliz. Só mais uma olhadinha: 11:49. Meu estômago exulta de felicidade, em laranjas e amarelos fosforescentes. Posso sentir o gozo de ter comida quente na boca, mastigando, engolindo, batendo lá no fundo. A alegria brota em meu peito: 11:52. Resolvo abrir o outlook para desencargo de consciência: 11:53, nada de novo. Olho de novo, não me contenho: 11:57 e a saliva inunda todos os cantos da boca, ansiosa. Resolvo ir ao banheiro me distrair, para depois pegar o caminho da redenção: o caminho do restaurante.

Um comentário:

israel disse...

hola, soy un mexicano, no esntiendo nada de lo que escribes, por que es portuges, asi que tu no me entiendes nada ami, y te puedo decir chinga tu madre y no sabes lo que te digo, pero solo te escribo por que estas chula, bonita, tienes buena cara, buen cuerpo, estas bin buena, cojible en pocas palabras.

bueno adios y que te cojan rico