25 de novembro de 2007

Fernandinha

Fernandinha e a xícara de sapo. E o chaveiro de sapo. E o sapo de borracha. E a carteira de sapo. Fernandinha indo com o chá e eu voltando com o café. Fernandinha e seus banhos intermináveis. Fernandinha fumando na janela da cozinha. Eu abraçando a Fernandinha que chora. Fernandinha me abraçando enquanto eu choro. Fernandinha e a preguiça. Eu e a tristeza. Um pedaço de bolo de chocolate. Um pedaço de saudade em mim. Como eram felizes os dias e as horas em que não era preciso falar nada e o silêncio não era constrangedor, mas necessário pra sobreviver.
* de todas as pessoas, em todos os tempos, não houve ninguém que me entendesse tão bem como fernandinha, talvez pela cabeça, tão parecida.

2 comentários:

beto disse...

Esse texto eh mto bonito, achei legal vc ter lembrado tudo q passaam juntas, momentos bons e ruins. a fernandinha eh assim mesmo mto querida e amiga.
Vc esta mto correta ao dizer q a Minha fernandinha eh mesmo Preguisoça(eu tinha q ligar do Mexico pra manda essa preguisoça pra facul AFFF). E adora bolo de chocolate com morango. Claro q so faltou isso. vcs quase nao conversavam, mas eram felizs como vc disse em silencio. =)

Fernandinha e Beto(add nos) haha disse...

fer.nanda, achei mto legal sab q gosto das suas poesias, e mas essa sobre a pessoa q amo, sentimos(beto e fernanda) sua falta.
bjos